Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

Estes Dias - Passeios Culturais

Ora e o que andou a acontecer nestes dias? Segue-se um relato (de vários dias) do que andei a fazer nestes dias de ausência aqui no blog.

 

A minha sobrinha afilhada, assim que entrou de férias pôs logo em pratos limpos que vinha para os lados dos avós paternos e da tia.

 

Os avós dão-lhe guarida, a tia adora andar a passear com ela.

 

Num destes passeios fomos parar a Belém, o destino era outro mas por questões que não tem nenhum interesse explicar, ficámos por Belém.

 

Armadas em turistas, aproveitei para a levar aos sítios culturais da zona e fiquei pasmada com os preços.

 

Felizmente ela ainda não paga mas de resto: entrada de adulto no Museu de Arqueologia, 5 euros. Subida ao Padrão dos Descobrimentos, 6 euros (aqui ia-me passando, 6 euros para subir um elevador). Entrada na Torre de Belém mais 5 euros.

 

Eu cresci na zona de Belém e lembro-me de passar os dias de férias, enquanto não ia para fora, a percorrer os monumentos com uma amiga e na altura era tudo ou gratuito ou com um pagamento simbólico. Já conhecíamos os monumentos de cor.

Acho estes preços de hoje, uma caça ao turista e um verdadeiro atentado ao processo cultural de quem quer mostrar a nossa história às crianças.

 

Dito isto, tive um pensamento pouco católico de que devia haver preços para portugueses e preços para, desculpem a expressão, chular turistas.

 

Tive este pensamento e não o achei muito simpático. Mas qual não foi o meu espanto, quando no dia a seguir ao levar a miúda a passear pelas casas-museus de Cascais (fabulosas) descobri que as entradas nos sítios de interesse histórico para os moradores do concelho de Cascais têm um desconto de 50%.

Da mesma maneira que o Castelo de São Jorge, como é sabido, tem entrada grátis para os moradores do concelho de Lisboa.

 

Dito isto, devíamos ou não ter preços diferenciados para turistas e portugueses?

 

Adenda: Esqueci-me de referir que estes preços despropositados acontecem em Lisboa e Sintra, os sítios que tenho visitado no interior do país, onde o turismo é baixo, e que têm acervos também bastante interessantes não têm estes valores.

Eu (Coração) Junho

Gosto tanto do mês de Junho, é assim um mês que ainda cheira a primavera mas já nos traz promessas de verão.

 

Sim, eu confesso desde já que é o mês dos meus anos, o que lhe dá um gosto ainda mais especial.

 

IMG_3308.JPG

 

Pela primeira vez, Junho vai realmente significar Feira do Livro, que só abre hoje. Os meus "Dia da Criança" foram muitas vezes passados nesta feira. Era aqui que a minha mãe, amante de leitura e filha de um amante de leitura, nos levava para comemorar este dia tão especial.

 

IMG_2968.JPG

 

É também hoje que começam as festas da minha vila (que nós não queremos ser cidade, é mais chique ser assim uma Vila ).

 

Depois vamos entrar na animação dos simpáticos Santos Populares. Mais uma desculpa (como costumo dizer) para conviver, comer e beber .

 

Junho.jpg

 

É o mês dos primeiros mergulhos, eu sei que já devo ir com alguns mergulhos de atraso mas a realidade é que ainda não me estreei.

 

Junho traz também o aniversário da minha prima-gémea (nascemos com 25 dias de diferença) e da minha sobrinha-afilhada (2 dias depois de mim).

 

E é desde o ano passado, um mês de nervos, cansaço, últimos arranjos de figurinos, coreografias que nos invadem a cabeça dia e noite, mas sobretudo alegria, é o mês das apresentações de fim de ano da escola de dança. Não somos profissionais mas levamos os eventos muito a sério.

 

13406985_965358076917599_3906201882023140611_n.jpg

 

 

E no final chega ainda a F.I.A, a Feira Internacional do Artesanato que nos transporta em segundos para outras paragens.

 

Junho1.jpg

 

Junho é um mês que cheira a sardinhas, a manjericos, a canela, a livros novos, a mar e ao coco dos bronzeadores.

 

É assim um mês, tão..."sempre a abrir" que no ano passado quando terminou olhei (por segundos) para o lado e perguntei: E agora o que é que eu faço? 

Abril Novidades Mil

Nem por isso, era só publicidade enganosa para rimar com o ditado. E além disso hoje é dia das mentiras por isso pode-se fazer publicidade enganosa.

 

Só há uma novidade, este blog já tem Facebook .

 

E aproveito para desejar um excelente Abril a todos. Porque embora não seja novidade, este mês temos, a

 

Páscoa 

 

ovo-cau.jpg

 

 

Feriados

 

Origem-dos-Feriados.jpg

 

 

E para quem é fã como eu, começam as Feiras Medievais.

No próximo fim-de-semana há aqui uma bem pertinho, em São Domingos de Rana e parece que também vai haver uma nas ruínas de Tróia. São sempre uma boa desculpa para ir conviver, beber um hidromel para aquecer porque as noites ainda estão frias, petiscar e comprar artesanato.

 

maxresdefault.jpg

 

Outras Noites

Sexta à noite. Santos. 23h20. Saída de um jantar de aniversário. A correr para apanhar o comboio. Chuva, frio. O pensamento no conforto da cama e dos gatos.

 

Por debaixo do guarda-chuva, é preciso desviar dos miúdos que enchem as ruas.

 

Os pensamentos vagueiam até outros tempos, quando tinha a idade deles.

 

Frequentámos a 24 de Julho, as  Docas, Santos, o Bairro Alto. Íamos mudando de sítio conforme as modas.

 

Turma de teatro, colegas da universidade, amigos, as primas das borgas, a malta do verão, os colegas do primeiro emprego. Havia sempre alguém com quem sair em bando.

 

As primeiras saídas, as borboletas na barriga dos primeiros amores, as confissões e os risos até às tantas.

 

Jonnhy Guitar, Charlie Shot, Vacas Loucas, Arroz Doce, Mezcal, Apollo XIII, Marão eram alguns dos bares de eleição entre tantos outros que já esqueci. Alguns eram escolhidos por nos darem pipocas e amendoins à borla.

 

Bebiamos Cubas Libres no início, para experimentar aquela nova liberdade. Depois passámos para as sangrias, shots, caipirinhas, vodkas de sabores, as bebidas míticas dos anos 90, Gold Strike, Pisang Ambon. E os Pontapés na Cona e shots de Orgasmo que pedíamos só para os risos tontos.

 

As primeiras bebedeiras que também foram as últimas porque aprendemos à custa das consequências.

 

Comiamos em tascas baratas. Bifinhos com cogumelos ou bacalhau com natas eram sempre as opções de jantares de grupo.

 

As rosas vendidas pelos indianos vinham parar às nossas mãos depois dos rapazes as regatearem.

 

As ruas eram nossas, ficar sentados nos passeios era tão natural como estar nos sofás de casa.

 

Tínhamos a vida e os sonhos todos pela frente. Nada estava planeado porque tínhamos confiança que tudo aconteceria naturalmente.

 

Depois corríamos para apanhar o último comboio que na altura era só às 2h30 ou aguentávamos até ao primeiro da manhã.

 

Sexta à noite, de volta ao presente, passo pelos miúdos. Não sei se tento encontrar ecos do meu antigo eu no meio deles, se acho que eles vieram ocupar as ruas que antes eram minhas ou se apenas me fazem sentir a nostalgia de uma vida passada.

 

Está chuva, frio e o comboio não tarda. Os meus bandos já se dispersaram pela vida. E eu agora só quero ir para casa.

 

"Grande Prova Mediterrânica de Azeites e Vinhos do Alentejo" em Lisboa

14595725_10154623629934182_2332634005333506710_n.j

 

80 produtores

400 vinhos à prova

Azeites

Provas comentadas

Workshops

Conversas

 

A "Grande Prova Mediterrânica de Azeites e Vinhos do Alentejo" em Lisboa (no CCB), é para mim um dos mais esperados acontecimentos do ano.

 

Não sei há quantos anos se realiza, eu descobri este evento por acaso enquanto passeava no CCB há 2 anos e esta foi a 3ª a que assisti.

 

Tudo é gratuito, só tem que comprar um copo (3 euros) caso queira participar nas provas.

 

Este ano aproveitei ao máximo este evento. Ontem, assisti à Harmonização, um workshop de culinária de 2 horas, oferecido pelo restaurante da Herdade da Malhadinha Nova que tem como chefe consultor, Joachim Koerper. O workshop foi dado pelo chefe Bruno Antunes.

 

IMG_4905.JPG

 

Assistimos à elaboração de dois pratos que degustamos acompanhados pela prova comentada de um vinho em harmonização (as fotos não estão nada boas devido à pouca luz do espaço).

 

IMG_4910.JPG

 Bacalhau com a sua brandade, carabineiro da costa algarvia, alcachofras, azeite de chouriço e manjericão. Acompanhou um rosé seco da Herdade da Malhadinha

 

IMG_4915.JPG

Bochecha de porco preto preto DOP, xerém de amêijoas e legumes baby glaceados. Acompanhou um tinto de 2004, Monte da Penha

(prometo para a próxima não atacar o prato antes de tirar a foto mas cheirava tão bem que nem me lembrei)

 

 

E finalizamos em grande com esta brilhante sobremesa

 

IMG_4916.JPG

Créme brûlée de sericaia com gelado de canela e ameixa de Elvas. Acompanhou um Branco doce Tiago Cabaço 2011

 

Hoje o dia foi dedicado às conversas. Participei nos Vinhos de Talha, Brancos Para o Inverno e Alicante Bouschet. A primeira conversa, em especial foi muito interessante por estar presente um entendido conhecedor da história do vinho em Portugal.

 

IMG_4933.JPG

 

Para além disto tudo, temos sempre e também de forma gratuita uma banca dedicada à cozinha molecular com vinho e azeite, onde se pode experimentar gelado de vinho, uvas com pele de vinho, geleia de vinhos, azeitonas explosivas, azeite aromatizado, manteiga de azeite, sangria com fumo e gomas de azeite.

 

Um brinde a todos 

 

IMG_4919.JPG

 

Para o ano há mais.

 

IMG_4928.JPG

 

 

O Bairro

O tempo passa a correr, acho que já não ia lá há mais de um ano. Mas ontem estava com a neura e deu-me vontade de arejar a cabeça. Telefonei a uma amiga de sempre, fomos jantar fora e depois passámos pelo Bairro.

IMG_4779.JPG

 

Apetecia-me ir ao Bairro, regressar ao Alto dos vintes, o sítio que nos acolhia como se fosse a nossa segunda casa, onde nos sentávamos na rua como se as pedras do passeio fossem confortáveis sofás e partilhávamos em grupo uma garrafa qualquer. E sonhos. E ideais.

 

IMG_4782.JPG

 

Gosto de visitar os sítios míticos, passar pelo Mezcal e beber um shot, olhar para o Apolo,  entrar no Páginas Tantas, verificar se o Arroz Doce continua a dar Pontapés na...(sítio que eu cá sei).

 

IMG_4788.JPG

 

Se calhar fui procurar por mim na rua, a ver se ainda lá estava nos vintes. Na altura éramos artistas, depois passamos a académicos. Tudo era possível. É engraçado que regressei num dia em que estava com a neura dos 40, por ver o tempo a passar, sentir que tudo está estagnado e não me ver a ir a lado nenhum. 

 

IMG_4780.JPG

 

Mas na verdade eu não estava lá e o espírito do Bairro estava adormecido.

Agora parece tudo uma estância turística. Tentam-nos "vender" lugares em restaurantes falando em inglês.

Mas também era cedo porque como costumo dizer, isto de ter 40 dá muito sono, se calhar mais tarde o espírito é o mesmo. Não sei.

Se calhar quando o espírito bairrista acordou, era eu que já estava a dormir.

 

IMG_4777.JPG

 

Fotoblog

Este blog anda a parecer mais um fotolog e agora que falo nisto, eu tinha um fotolog, há muitos anos, o que será feito dele?

 

Não sei se é da pasmaceira do Verão mas não tenho muito assunto para contar. A semana passada parecia que o trabalho finalmente ia arrancar mas voltou tudo a acalmar.

 

Por isso faço caminhadas e agendo post. 

 

Ando nas leituras que me desviam da televisão e do computador. E fiquei a pensar, será que é assim tão estranho ler vários livros ao mesmo tempo? Parece-me o mesmo que seguir várias séries ou telenovelas ao mesmo tempo, não?

 

E confesso que daqueles autores todos que estou a ler, quem está a ganhar é o Excelentíssimo Jorge Amado. Mais vale tarde do que nunca para começar a ler a obra de tão ilustre autor.

Sendo eu uma apaixonada da cultura baiana, sendo Jorge Amado um mestre literário, tendo eu adorado as adaptações televisivas "Gabriela, Cravo e Canela", "Dona Flor e os Seus Dois Maridos" e "Tieta do Agreste" e sendo a obra de Amado uma obra tão descritiva da gastronomia baiana, "eu me pergunto" que falha tão grande, era esta na minha vida.

 

IMG_0306.JPG

 

De resto

IMG_0200.JPG

 Fui ao concerto do Festival do Largo (São Carlos) "Diálogo com o Oriente" que adorei mas confesso que descobri que realmente ópera não é o meu estilo. Apresentaram para além de peças musicais o primeiro acto do "Deus Vulcão", só gostei da parte do bailado  e fico envergonhada por confessar isto.

 

IMG_0300.JPG

 Andei a explorar uma parte da vila onde já moro há 41 anos mas onde nunca tinha posto os pés, irei dedicar uma entrada do blog a este assunto.

 

IMG_0335.JPG

 Fui à Feira Medieval de Sintra que está a acontecer este fim-de-semana.

 

Já realizei outra das minhas caminhadas mas para a semana conto. Por agora um excelente fim-de-semana a todos que por esta hora devo estar a preparar-me para ir a um aniversário picnic.

 

 

Mais Uma Tradição Anual

A ida à Feira Internacional de Artesanato, vulgo F.I.A.

IMG_0053.JPG

Logo à entrada ficamos com vontade de conhecer Pampilhosa da Serra devido a este belo painel

 

IMG_0071.JPG

 O 1ª pavilhão é dedicado ao artesanato português

 

IMG_0058.JPG

 No 2º pavilhão viajamos pelo mundo

 

IMG_0061.JPG

 

IMG_0064.JPG

IMG_0060.JPG

 

IMG_0074

 E as compras, uma saia calça, um vestido, um saco de oferta com o vestido

IMG_0076.JPG

 Aperitivos de Wasabi que me fazem chorar baba e ranho mas aos quais não resisto

IMG_0078.JPG

 Uma pequena embalagem de Açafrão que estava quase ao preço da chuva em vez do preço do ouro. Muito estranho. 

 

IMG_0079.JPG

 E um travessão para o cabelo

 

 E claro, o 3º pavilhão leva-nos aos sabores de Portugal com as suas tasquinhas

Foi Aqui Que Me Despedi da Primavera e Recebi o Verão

Foi assim o fim-de-semana no: 

Fotografia0942[1].jpg

A praia

Fotografia0938[4].jpg

 A vista do meu quarto

Fotografia0940[2].jpg

 O quarto

Fotografia0969[1].jpg

 As caminhadas

Fotografia0957[1].jpg

Encontrei sacerdotisas e fiz um ritual da purificação pela água nas antigas termas.

Fotografia0967[1].jpg 

Aproveitei muito as piscinas, tanto a exterior como a interior que tinha uns chuveiros espectaculares de hidromassagem.

Fotografia0989[1].jpg

 

A nossa querida equipa de chefes (professores e colegas) que cozinhou para nós

Fotografia0983[3].jpg

 

A sobremesa e a frase que me calhou

Fotografia0987[1].jpg

 

O nevoeiro do primeiro dia de Verão.

Fotografia0975[1].jpg

 

E o fim-de-semana terminou com uma sessão de feng-shui intuitivo através de uma sessão de meditação.

Fotografia0990[1].jpg