Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

Coisas Que Me Dizem #8

Banda sonora inicial: Passarinhos a chilrear

 

Ia eu no outro dia na rua com a minha avó quando passa uma senhora que me conhece desde sempre.

 

Nós - Olá...(beijinho...beijinho). Tudo bem?

 

Ela - Tudo bem...blá, blá, blá. Ai que bonito, duas gerações a passear.

 

Nós  - Viemos agora das compras...blá, blá, blá. Então adeus e até logo.

 

Ela - Até logo

 

Viramos costas e...

 

Banda sonora a partir daqui: Música do filme tubarão

 

Ela (a pensar, era só que faltava continuarem na vossa vidinha tão felizes e animadas) - E já agora Aninhas veja lá se fecha a boca (e faz o gesto de ).

 

E a anjinha aqui a pensar rápidamente em tudo o que tinha dito nos últimos tempos, a ver se tinha dito algo que pudesse ter melindrado a senhora, sem descortinar nada.

 

Pausa de cena para contexto:

 

Sim, a senhora estava simplesmente a chamar-me de gorda mas eu que ando sempre a pé, faço duas horas de dança ou pilates por dia, tenho uma alimentação quase exclusivamente macrobiótica, sempre tive um peso "normal", não tenho espírito de me importar, achar gorda ou ter alguma peso na consciência. Por isso não atingi.

Embora sim, com a idade (e as cervejas) fui ganhando alguns quilos que não tinha anteriormente e que se devem notar.

 

Não atingindo a dentada (só para ficar bem com a banda sonora do tubarão), perguntei a medo:

 

Eu - Mas disse alguma coisa que não devesse ter dito?

 

Pausa para contexto

 

A dentada não foi sentida porque a carapuça não serviu e agora como é que a senhora se vai desenvencilhar desta sem chamar-me gorda directamente?

 

Ela (arregalando os olhos) - Não é isso, não está a perceber. É que está cheia de curvas, parece a Marilyn Monroe.

 

E aqui que o meu cérebro entra em parafuso: "Espera, ela está a chamar-me gorda mas ao mesmo tempo está a dizer que tenho um corpo parecido com a Marilyn, isto é bom ou é mau?".

 

E ela continuava com aquilo:

 

Ela: Está parecida à Marilyn, está a perceber? Com muitas curvas mas veja lá se não passa daí.

 

E o meu cérebro continuava a fritar.

 

Conclusão

 

Quando entrámos no prédio eu e a minha avó desatámos a rir tanto mas tanto, principalmente com a minha inocência de pensar que tinha dito algo de errado e ainda estar preocupada com isso, que a minha avó terminou dizendo: "Ai que já tenho as cuecas todas molhadas".

 

42d5a827b4e7722e8b11d2409e34b325.jpg

 

E a senhora como é? Bem a minha sobrinha afilhada ao ouvir o relato perguntou: "Então, mas se tu és gorda ela é o quê?!". Agora tirem as vossa conclusões.

 

Conversas Doidas

Eu sou perita em atrair conversas doidas. Ora vejamos:

 

1ª Situação - Na Rua

 

Saio de casa com o saco do lixo. Nesta zona não temos caixotes do lixo, temos "ilhas ecológicas" que nos fazem caminhar até lá.

 

Desconhecido atrás de mim: Hummm...caracóis.

 

Eu: Desculpe?!

 

Desconhecido já ao meu lado: Estou a ver que leva caracóis pequeninos aí no saco.

 

Eu: Não, é lixo 

 

Para o senhor, um saco branco com contornos de pedras sujas de excrementos de gato eram caracóis. Um belo petisco.

 

 

2ª Situação - Ao telefone

 

Começo por explicar que adorava ter uma voz grave e rouca, super sexy mas não é o caso. Tenho mesmo voz de mulher e bastante jovem.

 

O telefone toca ainda estou na cama, manhã cedo:

 

Eu: Estou

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Ai filho que te tratei tão mal ontem, deves estar muito chateado comigo.

 

Eu: Hããããã...desculpe mas é engano

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Ai eu sei meu filho, estás muito chateado comigo. 

 

Eu: Ligou para o número errado.

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Eu fui mesmo muito mázinha contigo.

 

Eu: É ENGANO.

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Ai meu filho.

 

Eu: Está a ligar para o número errado, eu chamo-me Ana (disse o meu nome só para a senhora se convencer que nem um homem sou, quanto mais filho dela)..

 

Velhota do outro lado mudando o tom de voz: Está aí uma mulher contigo?! Quem é ela?

 

Eu: É ENGANO, ESTÁ A LIGAR PARA O NÚMERO ERRADO.

 

Velhota do outro lado voltando à voz de lamento: Ai já sei, é a minha São não é?

 

Eu: É ENGANO.

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Tá bem, tá bem.

 

E desliga a chamada com voz de quem tem a certeza de que o filho, ou a São, a estão despachar por estarem chateados.

Coisas Que Me Dizem #7

(Este episódio passou-se há poucas semanas e já pus muita gente a rir com ele. 

 

A minha prima que sabe da existência deste blog e acha que a minha vida é uma comédia de nonsense disse: "Tens que contar isso no blog", ao que eu respondi: "Não sei C., sabes, é um assunto que pode ser delicado para algumas pessoas e posso ser mal interpretada".

 

Mas pronto, aqui vai. Obviamente que pessoas portadoras de deficiência têm direito às suas opiniões e sentimentos como qualquer pessoa não portadora de deficiência mas...sendo eu mulher também tenho direito à minha sensibilidade feminina.

 

Depois desta introdução para ver se não me batem muito devido à conclusão, aqui vai o episódio.

 

Há alguns meses voltei ao teatro,onde tenho um colega com trissonomia 21. Numa destas semanas ficamos juntos numa improvisação a fazer de casal.

 

Fomos para um canto da sala preparar o exercício, combinamos o que iamos fazer, começamos a falar de outras coisas e ele volta-se para mim e diz:

 

Colega: Olha, posso ser sincero contigo?

 

Eu: Claro que sim.

 

Colega (apontando para uma colega na casa dos 20 que estava na outra ponta da sala): É que eu preferia ter ficado com ela a fazer a improvisação. É que ela é mais magra e mais gira do que tu. Já viste bem aquelas curvas?

 

Eu:  (a pensar: ele não me disse isto, pois não? )

 

Lamento mas no momento, o meu orgulho feminino pensou: "Porra, estou lixada, se já nem um homem com Síndrome de Down me quer (e era só a fingir) e prefere uma de 20, nunca na vida me vou casar. Isto só pode ser uma mensagem do universo. A minha capacidade de atração bateu no fundo, a minha vida amorosa terminou oficialmente".

 

 

Adolescentes, Quarentonas e Conversas de Amor

Estava eu a jantar com a minha ex-cunhada e com as minhas duas sobrinhas mais velhas quando começo a contar uma pequena coisa à minha cunhada. Amor platónico, nada de especial aconteceu mas de brilho nos olhos e voz entusiasmada.

 

Eu tia solteira e descomprometida...Blá,blá, blá, sorrisinhos e etc e tal.

 

Cunhada divorciada e descomprometida...resposta cúmplice, sorrisinhos e blá,blá,blá

 

Sobrinha adolescente e comprometida - Vocês parecem loucas.

 

Eu tia solteira e descomprometida - Então porquê? Estamos a dizer alguma coisa de mal? Não é o mesmo tipo de conversa que tens com as tuas amigas?

 

Sobrinha adolescente e comprometida - Sim...mas vocês já não têm idade para isso .

 

E é isto. Nós achamos que as miúdas ainda são novas demais para estas andanças, elas acham que nós já somos velhas demais para estas andanças.

 

 

 

Coisas Que Me Dizem#6

Introdução - Raramente seco o cabelo. A não ser que vá à cabeleireira ou que lave o cabelo à noite no inverno, nunca seco o cabelo com secador.

 

Hoje de manhã

 

Banho tomado, cabelo penteado, vestida com calças de ganga da Salsa recentemente compradas, a estrear umas sabrinas que imitam sapatilhas de ballet, camisa estampada e brincos compridos a combinar com as sabrinas e a cheirar a Jean-Paul Gaultier Classique, lá vou eu para a rua toda feliz e airosa. 

 

À porta do prédio cruzo-me com uma vizinha.

 

Eu (grande sorriso) - Bom dia.

 

Vizinha - Bom dia Ana, vais toda a pingar.

 

Eu (já habituada ao sermão "vê lá se não apanhas uma constipação a ires para a rua com o cabelo molhado") - Já estou habituada a andar assim.

 

Vizinha - Parece que saiste do esgoto.

 

wet-cat.png 

 

 

Director's Cut#1 - Coisas Que Me Dizem #5

O primeiro director's cut

 

Ao ir pela primeira vez a casa de uma amiga no ano passado. Acho que não o publiquei porque achei isto mesmo parvo e foi ficando. Ela andava há bastante tempo a queixar-se que andava a passar demasiado tempo no computador e não tocava na casa:

 

Amiga - Ainda bem que vens assim vestida. Está a condizer com a minha casa que está toda dessarumada e suja.

 

Eu -  Mas eu tomei banho hoje.

 

Amiga - Estava a falar do teu ar de hippie.

 

Oh pá, até ia toda orgulhosa com este vestido novo da Natura.

 

vestido.jpg

 

Coisas Que Me Dizem#4

Passada a gala de final de ano da minha escola de dança (da qual irei escrever brevemente) dizia a minha mãe sobre a minhas sobrinhas (dançarinas de hip-hop) que estão a passar por um ambiente familiar um pouco complicado:

 

- Ainda bem que andas na dança e que as miúdas te foram ver. Podem ter um bom exemplo dos adultos. Também és maluca mas assim podem ver que é possível ser maluco de uma forma saudável.

 

E pronto...afinal sirvo de modelo para alguém. Sou a tia louca saudável

 

1552bd741454633193_card.jpg

 

Coisas Que Me Dizem#4 - Ou o Dia Em Que Casei Sem Saber

Diálogo:

Gajo - Sabes, estive a pensar muito bem e isto entre nós nunca iria dar certo. 

As nossas famílias conhecem-se há muito tempo e mais tarde ou mais cedo iam acabar por interferir na relação. Iam andar sempre enfiados lá em casa a meter-se em tudo. Por isso é melhor não haver nada entre nós.

 

Miss Ana

 

Contexto:

Este interessante monólogo (que foi um pouco mais extenso) foi declarado por um amigo pelo qual nunca senti uma gota de atração e muito menos ponderei sequer ter uma relação.

 

Conclusão

Esta foi a relação mais curta da minha vida, só durou alguns segundos mas começou, tivemos casa e terminou. Mas a culpa foi da família, eu não tive nada a ver com isto .

Coisas Que Me Dizem #3

 

 

Enquadramento: Os meus pais têm 3 gatos e quando vão para fora alguns dias, pagam a uma senhora para ir a casa deles alimentar os gatos, dar uma ligeira limpeza à casa e à liteira dos gatos.

Esta senhora é praticamente vizinha deles, deve andar na casa dos 60, não deve ser pessoa de grandes posses e tem uma cadelinha com quem passeia.

 

Quando tenho oportunidade, dado que eles moram apenas a alguns quilómetros de mim, aproveito para fazer uma caminhada e vou lá ver se está tudo bem com os gatos dado que um deles já tem 18 anos.

 

Hoje pela primeira vez cruzei-me com a tal senhora e no meio da confusão de palavras que ela ia nervosamente debitando apanhei mais ou menos isto.

 

Senhora: Isto, está impossível, ainda ontem limpei o chão de manhã, varri, passei com um pano com um produto (coisa e tal) e isto ficou lindo, mas quando voltei à tarde, o sol já estava aqui a bater e isto estava impossível. Era pêlo por todo o lado. Eu não sei lidar com isto.

 

Miss Ana: Pois é. Os gatos deitam muito pêlo.

 

Senhora: E a confusão que estava para aqui, havia bocados de uma planta espalhados, aquela suporte de madeira que costuma estar na cozinha estava a meio da casa. E eu sei lá. Eles devem-se juntar todos e isto é uma grande salganhada com as brincadeiras

 

Miss Ana: Pois. Dois ainda são novos e gostam muito de brincar.

 

Senhora: E estão muito gordos. Deixei-lhes pouca ração porque eles estão mesmo gordos. Mas isto é mesmo uma confusão, eu não sei lidar com isto. A sua mãe diz que todos os dias se levanta às 7h da manhã para limpar a casa e que não quer mais gatos.

 

Miss Ana (pegando no mais novo que se andava a roçar pelas minhas pernas durante toda a conversa): Pois só que a minha mãe ainda vai aturar gatos por muitos anos porque este ainda só vai com 9 meses.

 

Senhora: Mas não se preocupe que esse para a idade que tem está muito gordo e por isso vai bater as botas cedo.

 

Miss Ana:  

 

pipocas.jpg

pipocas 2.jpg

 

 

 

 

Coisas Que Me Dizem #2

(Esta conversa foi recente e já a contei num comentário, por isso é possível que alguém já a conheça).

 

Conversa com amiga durante uma caminhada.

 

Amiga - Vou aproveitar a caminhada para experimentar os novos ténis e...blá,blá, blá (conversa sobre os ténis).

 

Miss Ana - Olha os meus foram comprados no Freeport e blá, blá, blá (conversa sobre os ténis).

 

Amiga - Eu cá nunca vou ao Freeport porque não têm lojas para o meu tamanho.

 

Miss Ana - A sério? Eu pensei que com tantas lojas fosse fácil de encontrar uma grande variedade de oferta.

 

Amiga - Não só têm a...(esqueci-me do nome) para tamanhos grandes. O Freeport é bom para vocês que têm corpos mais ou menos normais.

 

Miss Ana - . Mais ou menos?! E qual é a parte do meu corpo menos normal? O meu terceiro braço ou o meu pé com 7 dedos?

 

Com amigos destes...

 

amigos.jpg