Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

Deviamos Praxar a Madonna

Pintar-lhe a cara não vale a pena porque já a vimos de todas as maneiras e feitios.

 

Mas pôr-lhe um xaile às costas, pedir para ela inclinar a cabeça para trás e obrigá-la a cantar um fadinho à desgarrada, enquanto abana a cabeleira loura, isso é que era de valor. De gente grande. Para ela mostrar o que realmente vale.

 

E como aquilo não devia sair à primeira, já a estou a imaginar com um copo de sangria na mão (ou iamos ali ao Arroz Doce beber um pontapé na con*) e a malta a cantar: E se a Madonna quer ser cá da malta, tem de beber este copo até ao fim. Até ao fim. E vai cima, e vai abaixo....e etc.

 

Se nem assim o fado saisse, faziamos o corredor da morte, davamos-lhe uns calduços e ficávamos amigos na mesma.

 

Embora fazer-lhe uma espera?

 

P.S. Sim, já não posso ouvir falar na Madonna mas resolvi entrar no espírito.

Independência

Ainda sobre as eleições, ao que parece, Oeiras, é o concelho com mais candidaturas independentes. Isaltino Morais com o movimento Inovar Oeiras de Volta, Paulo Vistas, com o Oeiras Mais à Frente e Sónia Gonçalves, com o Renascer Oeiras.

 

Eu cá para mim o próximo passo seria a independência, ponto final. Qual Catalunha, qual quê. Deviamos era criar a região autónoma de Oeiras .

Já Viram o Mar?

No outro dia estava em casa e de repente lembrei-me com uma pontinha de pânico: "Se calhar nunca vi o mar".

 

E já fiz a mesma pergunta a umas poucas pessoas: "Já viram o mar?" E elas olharam para mim com ar: "Tadinha passou-se".

 

Eu sei que a pergunta é parva mas eu explico . É que aquilo que nos rodeia teoricamente é um oceano.

 

Aí as pessoas respiram de alívio (afinal ainda estou sã) e começam a pensar se já viram alguma extensão de água nomeada de Mar.

 

Eu entretanto lembrei-me que há uns anos entrei numa cidadezinha costeira da Holanda e andei a fotografar o Mar do Norte.

 

Eu sei que Oceano e Mar podem ser sinónimos mas levando a coisa à letra:

 

Já viram o Mar?

 

Entretanto vou ali ver o Rio Douro e já venho.

 

Blog temporariamente encerrado para Férias de Verão.

 

Feliz Agosto a todos.

 

fotolia-78719278-s.1458379.142.jpg

 

 

 

Conversas Doidas

Eu sou perita em atrair conversas doidas. Ora vejamos:

 

1ª Situação - Na Rua

 

Saio de casa com o saco do lixo. Nesta zona não temos caixotes do lixo, temos "ilhas ecológicas" que nos fazem caminhar até lá.

 

Desconhecido atrás de mim: Hummm...caracóis.

 

Eu: Desculpe?!

 

Desconhecido já ao meu lado: Estou a ver que leva caracóis pequeninos aí no saco.

 

Eu: Não, é lixo 

 

Para o senhor, um saco branco com contornos de pedras sujas de excrementos de gato eram caracóis. Um belo petisco.

 

 

2ª Situação - Ao telefone

 

Começo por explicar que adorava ter uma voz grave e rouca, super sexy mas não é o caso. Tenho mesmo voz de mulher e bastante jovem.

 

O telefone toca ainda estou na cama, manhã cedo:

 

Eu: Estou

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Ai filho que te tratei tão mal ontem, deves estar muito chateado comigo.

 

Eu: Hããããã...desculpe mas é engano

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Ai eu sei meu filho, estás muito chateado comigo. 

 

Eu: Ligou para o número errado.

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Eu fui mesmo muito mázinha contigo.

 

Eu: É ENGANO.

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Ai meu filho.

 

Eu: Está a ligar para o número errado, eu chamo-me Ana (disse o meu nome só para a senhora se convencer que nem um homem sou, quanto mais filho dela)..

 

Velhota do outro lado mudando o tom de voz: Está aí uma mulher contigo?! Quem é ela?

 

Eu: É ENGANO, ESTÁ A LIGAR PARA O NÚMERO ERRADO.

 

Velhota do outro lado voltando à voz de lamento: Ai já sei, é a minha São não é?

 

Eu: É ENGANO.

 

Velhota do outro lado com voz de lamento e possivelmente bastante surda: Tá bem, tá bem.

 

E desliga a chamada com voz de quem tem a certeza de que o filho, ou a São, a estão despachar por estarem chateados.

Ahhhh.....Hummmm...

Olham para esta foto e o que pensam?: "Ai tadinha está a beijar o namorado, que provavelmente morreu com uma doença oncológica, antes de lhe fecharem os olhos"

 

f620x350-410733_441751_9.jpg

 

Mas não. Isto é suposto ser sexy. É o primeiro boneco de silicone para mulheres. E o video também é tramado. Vê-se o boneco a ser feito aos bocados, bocados de corpos decepados e bastante realistas, sendo que numa parte nem pele tem. Mas tudo é apresentado de uma forma que é suposto ser sensual.

 

E fiquem a saber que pode ser feito a pedido, com a cara e o corpo de quem quiserem. 

 

Eu cá aviso, se resolverem encomendar um com a cara do vizinho jeitoso ou do namorado que vos deixou, e se conseguirem mais tarde ter sorte com ele na vida real, livrem-se do boneco.

Eu teria medo, muito medo se entrasse na casa de um gajo e ele tivesse lá uma boneca igual a mim. Acho que fugia a sete pés a gritar:

 

"Stalker...Perseguidor..."

 

Mas antes disso se tivesse o boneco, de certeza que morria de ataque cardiaco à noite quando acordasse estremunhada e visse aquele corpo inerte ali ao lado.

 

Isto leva-me a outra imagem estranha. Os bombeiros e a polícia a arrombarem a minha porta e a encontrarem-me nua, morta com um boneco bastante excitado ao lado.

 

Decididamente não compraria tal coisa.

 

Mas procurem o video do Gabriel, o primeiro "muneco" de silicone e tenham medo, muito medo. Ou então excitem-se. Nunca se sabe, afinal é esse o propósito.

Aquelas Coisas Que Só Me Irritam A Mim - A Balança do Continente e Gente Idiota

De vez enquanto tenho momentos de paragem cerebral principalmente se me sinto pressionada.

 

Raramente compro legumes e frutas em hipermercados, não estou habituada a mexer nas balanças e não percebo bem porque raio o Continente ainda utiliza o método de pesagem fora das caixas, o que leva clientes que se esqueceram de pesar a deixar lá mercadoria ou a porem a fila em espera enquanto vão pesar.

 

Cenário: Continente numa hora morta. Só 5 ou 6 pessoas na zona das frutas e legumes ainda a olharem para a oferta ou a servirem-se.

Todas as balanças vazias (umas seis pelo menos).

 

Contexto: Pego nas minhas coisas e dirijo-me a uma das seis balanças vazias. Nem três segundos depois, um homem cola-se a mim para pesar exactamente naquela balança. 

Relembro que as outras balanças estavam todas vazias. Confesso que fico logo stressada com malta que gosta de colar e fazer fila só porque sim.

 

Acção: Pego no saco das limas e fico feliz porque desta vez lembrei-me de ver o código. Sinto o homem a colocar-se atrás de mim e tenho logo vontade de olhar para trás e perguntar se ele não reparou que as outras balanças estavam todas vazias.

 

Começo a digitar o código das limas e nada aparece no ecrã. Começo a pensar: "Nunca sei mexer nesta treta". Tento novamente o código e nada, sinto os olhos do homem pregados naquilo que estou a fazer.

Fico a pensar: "Isto deve ter um truque, está ali um quadradinho no ecrã onde deve aparecer o código, se calhar tenho que tocar lá antes". "Ahhhhh, hummmm, não funciona, também não é assim".

Continuo a sentir os olhos do homem colados em mim e eu cada vez com mais vontade de lhe perguntar: " Oh Caramelo, importasse de ir para outra balança? Não está a ver que estão todas vazias?"

 

Vejo então lá dois quadrados que dizem: "fruta" e "legumes" e resolvo ir pelo nome, "limas". Escolho o quadrado das frutas e começo a tocar naquilo rapidamente indo parar aos maracujás.

Então ponho-me a pensar: "L, L, no abecedário está perto do M, mas é antes ou depois?" (não se esqueçam que o meu cérebro entra em parafuso em caso de pressão). E lá vai de começar a desfilar mentalmente o abecedário à velocidade da luz: "A, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, ok porra, é antes do M, já andei demais, agora é que o homem tem a certeza que eu sou burra, mas porque raio é que ele não vai para outra balança? ".

 

O homem entretanto começa a mexer-se impaciente, a passar o peso do corpo de um pé para o outro mas não descola.

 

Pego em seguida no abacate: "Abacate, abacate, é um fruto, certo, logo é a mesma tecla. Mas 'pera, isto é super verde e usa-se sobretudo nas saladas salgadas, será que não está nos legumes? Vou outra vez dar ar de tonta. Não, é um fruto de certeza, desta vou acertar à primeira"

BINGO, é um fruto e é a primeira opção.

 

O homem entretanto já tinha dado meia volta para ir embora mas ao ver-me finalmente despachada volta para a balança.

 

Vá lá que não tinha levado também tomates, se não era outro caso existencial, fruta ou legume? E o T, está tão longeeee no abecedário. 

 

 

Sou Mágica

Fiz um belo truque de magia ontem. Guardei o casaco e a mala com dinheiro, as chaves de casa e o telemóvel no cacifo da escola de dança e fechei tudo com o cadeado. 

 

Tcharammmmm....e onde está a magia? É que o cadeado ficou cá fora a fechar tudo mas a chave para o abrir ficou lá dentro juntamente com as de casa.

 

Fiquei vestida de sevilhana com topzinho de alças numa noite ventosa, sem dinheiro e sem chaves para entrar em casa.

 

Quem é esperta, quem é? Eu sabia que um dia ia fazer isto. (Devia ter comprado um daqueles cadeados com combinação numérica).

Estou, quem Fala? Eu.. Eu quem? Eu...

Cada um com a sua pancada. Alguns gostam de conservar os seus números de telefone mas eu, sempre que mudo de operadora devido a tarifários mais interessantes, mudo de número. Não sei porquê mas gosto que o indicativo do meu número corresponda à respetiva operadora móvel.

 

Durante muitos anos fui da TMN e sabia o meu número de cor mas com as mudanças que já efetuei, hoje em dia nunca sei o meu número quando alguém pergunta.

 

Se calho a estar pessoalmente com a pessoa dou um toque para ela ficar com o meu número. Mas se calham a pedir pelo messenger, para ver qual é o meu número para lhes dar, ligo para o meu outro telemóvel, o profissional (cujo número sei de cor por já ter há alguns anos e ser fácil de decorar).

 

Isto por três vezes já deu origem a este cenário.

 

Como expliquei, para saber o meu número particular telefono para o meu número profissional, vejo o número no visor, dou o número a quem pediu pelo messenger e continuo com a minha vida.

 

Passadas umas horas reparo que tenho uma chamada não atendida no telemóvel profissional.

 

Então resolvo devolver a chamada. 

 

Nesse instante toca o telemóvel particular.

 

E fico a pensar: "Logo agora é que me haviam de telefonar. E agora? Desligo esta chamada que estou a fazer ou vou atender a outra"?

 

Sim, sou louca. O meu eu profissional, devolve a chamada ao meu eu particular e fica na dúvida se desliga a chamada que está a fazer a si própria ou se vai atender a chamada que está a fazer a si própria.

 

Obviamente que passados uns segundos apercebo-me do que estou a fazer e fico com vontade de bater com a cabeça em algum sítio para pôr os neurónios a funcionar.