Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

Lucy ou Como o Sistema Capitalista Se Quer Aproveitar dos Nossos 10%

Ao ver o filme Lucy ficamos desconfiados de quão estúpidos somos comparados com aquilo que poderiamos ser.

 

Ao lidar com as nossas instituições comerciais ficamos convencidos do quão estúpidos nos querem fazer.

 

Situação nº 1 - O Banco 

 

No sábado passado deixei o cartão esquecido numa sucursal do meu banco um pouco afastada da minha  casa. Assim que dei por isso e cheguei a casa telefonei para a linha de apoio a explicar o sucedido e a pedir aconselhamento.

 

Foi-me indicado que o melhor seria cancelar o cartão e na segunda-feira ir ao banco pedir um novo. Foi-me ainda dito que em todo o caso poderia fazer levantamentos no banco com o meu cartão de crédito. O novo cartão de débito iria chegar em 5 dias úteis e teria um custo de 13 euros.

 

Segunda-feira no banco quem me atendeu indicou logo com ar de gozo que tinha sido mal aconselhada pelo telefone, que teria sido muito mais fácil fazer o levantamento do cartão no banco, e que o novo cartão não chegaria em 5 dias mas sim numa média de 8 dias úteis. Mas mais uma vez confirmou que o meu cartão de crédito permitia fazer levantamentos naquele banco.

 

Terceira-feira ao tentar levantar dinheiro o cartão de crédito apresentava uma anomalia, o que eu Já desconfiava devido ao seu design estilizado. Resultado fui fazer queixa, mais uma vez aturei um empregado do banco a falar comigo com ar de gozo pelas informações dadas pelos colegas do atendimento telefónico e confirmou-me que aquele cartão (que só tinha sido utilizado uma vez como cartão de crédito e por isso estava novo), devido ao seu design, seria dificil de utilizar numa máquina normal e como eu não tinha em meu poder uma caderneta do banco teria que pagar cerca de 5 euros por um levantamento.

 

Vim-me embora. Optei por fazer uma transferência aos meus pais e eles darem-me o dinheiro.

 

Situação nº 2 - A loja de perfumes

 

A loja de perfumes onde eu costumo fazer compras tem um cartão cliente que vai acumulando pontos que são convertido em euros para desconto em compras futuras. Sempre que a loja está em períodos de promoções não é possível utilizar esse saldo.

 

Hoje dirigi-me a essa loja, fora do período promocional. Perguntei qual o saldo que tinha no cartão e indicaram-me ter 31 euros. Optei por um perfume de 27 euros e pedi que me descontassem do saldo acumulado. Fui informada que o perfume tinha um preço especial e por isso não podia descontar. Mas aconselharam-me a comprar o frasco do tamanho a cima que já tinha um valor de 61 euros. 

 

Vim-me embora. Agora só mesmo na Equivalenza.

 

Situação nº 3 - O Hipermercado

 

Hoje também dirigi-me a um hipermercado para comprar pouca coisa, entre as quais um livro para oferecer. O livro tinha indicado o preço de 11€99, quando já vinha no autocarro de regresso verifiquei que tinha pago 13€49 pelo livro.

 

Nesse mesmo hipermarcado há uns tempos atrás fui comprar pimentos, tinha duas escolhas, pimentos em avulso e uma promoção dos mesmos pimentos já embalados em que 2 eram apresentados pela módica quantia de 1 euro. Eu realmente queria 2 mas pelo aspecto deles optei por um dos que estava em avulso e por abrir a embalagem promocional e retirar um dos que estavam em promoção. Qual não foi o meu espanto quando paguei pelos dois pimentos 0, 29 centimos. Ou seja um preço muito inferior ao da suposta promoção.

 

Também por diversas vezes nesse hipermercado dei por produtos sem preço ao lado de produtos semelhantes com preço. Claro que quando chego à caixa ou vou verificar nas máquinas de leitura de código de barras, esses produtos sem preço, colocados ao lado de produtos semelhantes são sempre quase o dobro do preço.

 

Duvido que volte a este hipermercado. 

 

 

 

 Acho que só o facto de estarmos de olhos abertos e não pactuarmos com isto já aumenta uns milésimos da nossa inteligência.

1 comentário

Comentar post