Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

É Uma Questão de Postura

Sim, vou falar outra vez do Salvador Sobral mas na verdade não vou falar do Salvador Sobral, vou falar de mim.

 

De vez enquanto a minha mente começa a analisar coisas estranhas e dei comigo a pensar mas afinal porque raio é que simpatizo com o Salvador Sobral e cheguei à conclusão que é por termos uma postura muito semelhante na maneira de ser.

 

Já algumas pessoas me vierem dizer que antes de me conhecerem bem não gostavam de mim. E isto porquê? Porque achavam que eu transmitia um ar convencido e arrogante.

 

Também a Roberta Medina há 8 anos, antes de dizer ao Salvador que ele tinha entrado para os Ídolos atirou-lhe à cara que ele era arrogante.

 

Mas na realidade não somos nada arrogantes, temos é a postura do "Está tudo bem" (claro que não o conheço bem para afirmar que ele pensa o mesmo mas acho que sim).

 

Eu tenho mesmo a postura do "está tudo bem", se gostas de mim gostas, se não gostas tenho pena, se me querem aqui ok, se não me querem não há problema é porque deve haver por aí outro sítio onde me queiram realmente. 

 

Não é preciso decotes, mostrar a perna, sorrisos amarelos, conversa fiada e grandes produções. É o chegar, tentar dar o meu melhor e se deu, deu, se não deu, é porque não era para ser.

 

Só agora aos 40 é que percebi que realmente sou assim. Com a idade dele ainda tentava que as pessoas gostassem de mim e fazia tudo para as agradar mas com o passar do tempo acabei mesmo por assumir, e desculpem-me a expressão mas acho que é mesmo a certa, o ar do: "Estou-me a cagar".

É que a prestação dele foi mesmo: "Estou-me a cagar". Não vou vestido de Armani, o meu olhar não vai fazer amor com a câmara, vou simplesmente dar o meu melhor. Não interessa se estou em Kiev ou na Mouraria, vou dar aquilo que tenho para dar, seja a cantar na Eurovisão ou no bar da esquina.

 

Não é ser convencida, até porque tenho pouca auto-confiança, é mesmo gostar de mim própria (já aqui expliquei várias vezes que tenho esta idiossincrasia de não ter auto-confiança mas ter uma boa auto-estima) e perceber cada vez mais que se alguma coisa não dá certo é porque não era para ser e o de já só querer na minha vida pessoas que gostem de mim assim como sou.

 

Acho que ele assume na casa dos 20 aquilo que eu demorei 40 anos a perceber.

4 comentários

Comentar post