Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

A Gramática e as Dúvidas Existênciais

Como já aqui disse, por vezes para escrever no blog faço alguma pesquisa gramatical (evitem agora a gracinha, do "Ai fazes? Olha que não se nota nada").

 

E muitas vezes tenho dúvidas nos acentos dos verbos. Andava eu nessas pesquisas, quando reparei no seguinte.

 

Os verbos têm regras de conjugação que se podem aplicar em verbos com terminações semelhantes e que permitem uma rápida aprendizagem. Mais fácil nos regulares, um pouco mais complicada nos irregulares. 

 

"Eu como", "eu comi", "eu comerei", "eu rio, eu ri, eu rirei", "eu acaricio", "eu acariciei", "eu acariciarei" e sei lá quantas centenas mais de verbos com estas regras banais.

 

Mas se pegarmos num dos verbos mais importantes, aquele que nos ajuda a definir. Perguntamos em bom inglês-português: "WTF? Qual é a regra disto"?

 

"Eu Sou", "eu era", "eu fui", "que eu seja"...?!  Isto nem começa com as mesma letras.

 

E para ir a algum lado?

 

"Eu vou", "eu ia", "eu fui"?!  estava tudo ganzado quando se começaram a exprimir?

 

Não admira que a humanidade ande com problemas existenciais e sem saber onde vai parar. Nem estes verbos têm lógica.

 

E já agora, porque raio os verbos ser e ir são iguais no pretérito perfeito e no futuro conjuntivo, entre outras conjugações? Eu já fui aluna. Eu já fui à escola. Quando eu for aluna. Quando eu for à escola .

 

E pronto. Bom fim-de-semana, vão lá para casa pensar nisto.

19 comentários

Comentar post