Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

Mais Uma Para Eu Perder Tempo

Passados 10 anos, aderi finalmente ao Facebook a pedido de muitas famílias. Resultado, ainda hoje às 8h da manhã já lá estava. Sinto que isto, como previa, me faz perder horas preciosas de vida mas depois chego lá e é só coisas para me levantar o moral: "Gosto tanto de ti", "Continuas tão bonita", etc,  já para não falar de andar a cuscar a vida de todos. É pá, isto não se faz tornarem-me dependente do facebook.

 

Facebook-Like-icon-web-silhouette.jpg

 

Das Compras

Se há coisa que me dá vontade de sair de uma loja a correr são "assistentes de loja" demasiado vendedoras. Nada como entrar, dizer "Bom Dia" e responderem-me "Pode estar à vontade, se pretender alguma coisa é só perguntar". E ficamos por aqui. Agora quando andam atrás de mim a pressionar "Então o que é que procura?", "Não vê nada que lhe agrade?", "É só isso? E não quer levar mais nada para fazer conjunto?" e "Roupa de homem não precisa?". Juro que só me apetece sair da loja disparada e não comprar nada. Há lojas em que já nem entro porque já sei que vou ser assediada.

 

Acredito que haja pessoas que gostem de atendimento personalizado. Mas nada como poder ver o que há, pensar no que preciso, olhar bem para os preços das coisas e avaliar se a peça me vai ficar bem sem pressão. 

 

Ainda ontem comprei duas camisolas que com desconto me ficaram em quase 60€, já estava a considerar que estava a perder a cabeça e ainda tive a empregada a perguntar "Então para baixo não leva nada?" Só me apetecia responder-lhe "E comer? Não sei se está a ver mas também tenho que comer e pagar contas."

 

A sério, eu acho as lojas perdem clientes assim, mas se calhar sou só eu.

Compras.jpg

 

 

 

 

 

Door to Door Comercial Vs Door to Door Religioso ou a Problemática dos Anais Vs o Fim Do Mundo

Isto de estar mais por casa deixa-nos mais atentos à campainha e estou quase a fazer um campeonato entre as operadoras de telecomunicações Vs as seitas religiosas para saber quem ganha o troféu dos mais insistentes.

 

Mas o pior de tudo é o esforço que eu às vezes tenho de fazer para não me atirar para o chão a rir. 

 

Há uns tempos atrás bateu-me à porta um comercial que não conseguia dizer os "C" agora imaginem o que é vender pacotes de televisão e canais quando não conseguem dizer o "c". Fica algo do género: "Pode-me dizer quantos ...anais tem neste momento?" "E tem os ...anais de cinema"? "Quero-lhe propor um novo ...anal". A sério cheguei a procurar a camera escondida. Não sabia se havia de rir ou chorar com pena do rapaz, tive quase vontade de lhe comprar os (c)anais todos.

 

Hoje então bateu-me à porta uma senhora já na casa dos 70, com um ar muito distinto a dizer de uma forma muito séria que vinha aí o Armageddon (utilizou mesmo esta expressão) e que para além disso os mortos iam ressucitar. E a mim só me vinha à cabeça o Bruce Willis a ser perseguido por mortos vivos. Tive para perguntar à senhora se andava a ver muitos anais de cinema

 

Só comigo...

Há coisas que não entendo - Agora vou ser mázinha.

Agora vou mesmo ser mázinha, mas se há coisas que eu não entendo é esse fascínio pelo casamento do George Clonney. Uma noticia chegava mas andarem a dissecar isso há semanas. O homem casou-se e depois? Seria noticía se andasse a festejar as bodas de prata ainda de forma romântica.

 

Muito mais interessante o casamento da Angelina Jolie com o Brad Pitt, casal junto à vários anos, vários filhos, véu desenhado por estes, noticía passou em dois dias. Tá feito. Foi bonito, foi sincero e não chateia.

 

Isto assim parece mais uma acção de marketing do que um casamento.

Chafarizes de Lisboa

Há cerca de 11 anos atrás, estava eu a tirar uma pós-graduação na área de Gestão e Valorização do Património quando fiz, para uma das cadeiras, uma apresentação sobre o estado de degradação em que se encontravam as bicas e chafarizes de Lisboa.

Passados estes anos, e com todas as obras de melhoramento que Lisboa tem "sofrido", no bom sentido, é uma pena que neste sector quase tudo se mantenha na mesma.

Para além de obras de recuperação que permitissem o embelezamento do espaço e que os chafarizes recuperassem a sua antiga função de "matar" a sede a quem passa, seria interessante promover juntos dos visitantes uma rota dos chafarizes de Lisboa obras de interesse histórico e arquitectónico.

O Chafariz D'El Rei, sito em Alfama, datando do século XIII terá sido o primeiro de Lisboa, tinha 6 bicas de água, cada uma destinada a uma classe social e deve o seu nome ao Rei D. Dinis que o reconstruiu no século XVIII.

A Bica dos Olhos, construída no século XVII na zona da Bica, deitava água que se dizia curar doenças de olhos e que acabou por nomear a rua onde se encontra, a rua da Boavista.

O Chafariz da Esperança, projectado por Carlos Mardel, um dos arquitectos da reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755, está localizado na zona de Santos e foi construído na sequência do Aqueduto das Águas Livres. Deve o seu nome ao facto de ter sido erigido, num terreno pertencente ao Convento Franciscano de Nossa Senhora da Esperança. O bebedouro inferior era destinado aos animais e o superior ao povo.

O Chafariz da Princesa, construído no século XIX, na zona de Pedrouços, na sequência de um surto epidémico de febre tifóide e da consequente necessidade de fornecer àgua potável a essa zona, deve o seu nome à irmã (e nora) da rainha D. Maria I, D. Maria Francisca Benedita que aí tinha uma quinta.

 

Sendo Lisboa uma cidade ligada à água, seria importante voltar a integrar estes monumentos na vida dos Lisboetas que passam por eles já sem os olhar.