Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

De Repente Já Nos...40!!!

O Lado B da Vida

Lisboa não sejas francesa e mantem-te assim saborosa.

Uma vivência de 3 anos em França no fim da adolescência aliada a um gosto pela culinária fazem-me percorrer por vezes as publicações francesas sobre este tema.

 

Este mês fiquei agradavalmente surpreendida ao reparar que a revista "Saveurs" trazia um artigo sobre Lisboa. O trabalho fotográfico é excelente, acho que nunca tinha reparado realmente nas cores da nossa bela cidade até olhar para estas fotografias.

 

Quanto ao texto descreve o espírito de Lisboa como um pouco ausente devido ao oceano que age sobre ela como um amante, descrevem-na como uma cidade exótica mas ao mesmo tempo completamente europeia, consideram que o potencial da nossa capital é ao mesmo tempo o seu trunfo e o seu drama, o desejo de modernização que por um lado está a tornar a cidade mais cosmopolita, a trazer marcas internacionais e a mudar a arquitectura, está também a fazer desaparecer a nossa "bonita decadência". Os jornalistas adoraram o facto de ainda terem visto em funcionamento antigas barbearias e conserveiras (C'est tellement beau).

 

A nivel de sabor dizem ser tudo bom com destaque para o Chefe Avilez, para as nossas petiscarias antigas (e aqui falam de um sentimento de tristeza pelo facto das exigentes normas europeias já ter fechado grande parte delas), para os pastéis de belém, para a Brasileira, para a ginginha e para os nossos quiosques.

 

Por isso, tal como diz o fado, "Lisboa não sejas francesa" mantêm-te fiel a ti mesma porque é assim que te amamos. 

 

A verdade é que estas fotos, este texto, as receitas incluidas e todas as sugestões deram-me uma vontade louca de ser turista em Lisboa.

 

Hoje acabei de ler...

 

 

 

  

Já não lia nada do MEC desde 1996. 18 anos se passaram. Estava relutante por achar que já não me iria identificar, lembrava-me de uma escrita satirico-irónica da vida, da sociedade e eu ando um bocado farta de lamechiche, de espíritos irritados.

 

Mas com este título não resisti.

 

A vida pode realmente ser uma p..a mas é uma p..a linda e isso lê-se neste livro que tanto abrange a dor por ter um ser amado a sofrer, como continua com um olho satirico-irónico da nossa sociedade, como tem crónicas sobre o tempo das nêsperas, a sabedoria da vida do ponto de vista felino, o prazer da avôrnidade (será que existe algum substantivo relacionado com os avós?) ou uma dissertação sobre as águas (chuva, mar, canalizada).

 

E é a escrita de alguém de bem com a p..a da vida...delicious.

Eu tenho tido a alegria como dom.

Coisas boas dos 40: Já não nos incomodarmos com o que os outros pensam e com as figuras que fazemos - Sair de casa de manhã, com os fones nos ouvidos a cantar esta música.

 

 


 

 

Ou estar no supermercado, começar a tocar o Like a Virgin, acompanhar em voz alta a imitar a voz estridente da Madonna aos 20 anos enquanto a sobrinha ao lado num misto de divertimento e embaraço nos diz: 

 

- Oh tia,olha que está um senhor atrás de nós.

 

-E então? (Estou ficando velha e louca...).